Cidades

UEPG anuncia verba para licitar novo prédio do IML de Ponta Grossa

Verba foi destinada pelo deputado estadual Rodrigo Estacho
Equipes do IML estão instaladas em contêineres há mais de um ano (Foto: José Aldinan)

O vice-reitor da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), Everson Krum, esteve na manhã desta terça-feira (15) com o chefe da Casa Civil, Guto Silva, em Curitiba, para o anúncio oficial de R$ 350 mil para a obra da nova sede do Instituto Médico Legal (IML). O recurso será destinado à licitação de projetos do prédio, que será construído em terreno cedido pela UEPG, no campus de Uvaranas, pouco antes da entrada do Hospital Universitário.

Segundo a universidade, a verba resulta de indicação parlamentar do deputado estadual Rodrigo Estacho, do Partido Verde (PV). “Em setembro visitei a cidade e fiquei entristecido com a estrutura provisória de contêineres em que o IML estava funcionando. O Instituto Médico Legal de Ponta Grossa precisa de atenção, ainda mais porque atende toda a região dos Campos Gerais”, diz o deputado.

A obra tem valor estimado de R$ 8 milhões e abrigará o Centro de Estudos Anatômicos, o Serviço de Verificação de Óbitos e a nova sede do IML. “Esta parceria entre universidade, prefeitura de Ponta Grossa, Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) e Administração Penitenciária, que contou com apoio importante do deputado estadual Estacho, vai solucionar um problema importante do município e da região. Mas, para a universidade e o Hospital Universitário (HU), abre a possibilidade para novas ações e cursos multiprofissionais na área de Medicina Legal”, destaca o reitor, Miguel Sanches Neto.

Idealizado pelo professor Everson, o projeto busca dar uma contribuição efetiva da UEPG ao desenvolvimento regional. (Com assessorias)

 

Contêineres

Os profissionais que atuam no IML de Ponta Grossa estão, desde agosto de 2018, instalados provisoriamente em contêineres, ao lado do HU. A transferência ocorreu porque o imóvel sede do instituto, localizado no bairro Nova Rússia, precisou ser interditado para obras em um muro que ameaçava desabar. A obra até hoje não ocorreu, e o imóvel, onde também ficava a equipe de criminalística, segue desocupado.

 

Imóvel desocupado

O DC entrou em contato com o Governo do Estado, questionando se a obra na antiga sede do IML ainda ocorrerá, e qual será o uso do imóvel no futuro. Como a responsabilidade pela obra e as informações a esse respeito transitaram por várias secretarias ao longo dos últimos meses, o questionamento foi endereçado à Sesp, Casa Civil e Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano (Sedu). Apenas a Sedu disse que a resposta deve ser dada pela Sesp, que não retornou até o fechamento desta edição.