Cidades

Vandalismo ameaça projeto turístico nas ruas de PG

A intenção é criar uma rota de turismo histórico em espaços urbanos, com a impressão de uma cartilha
Algumas placas estão quebradas e outras sem sustentação (Foto: Fábio Matavelli)

A ação de vândalos pode prejudicar a execução de um projeto proposto pela prefeitura de Ponta Grossa no final do ano passado para fomentar o turismo, a cultura e o ensino da importância de imóveis históricos na cidade. Em outubro de 2018 o município finalizava a instalação de 64 placas, afixadas em imóveis tombados pelo patrimônio cultural, e contendo textos que descrevem a importância dos locais para a formação da cidade. A intenção é criar uma rota de turismo histórico em espaços urbanos, com a impressão de uma cartilha e com foco, também, no ensino a estudantes.

No entanto, boa parte dessas placas já está danificada. A maioria das que sofreram danos está sem parte dos parafusos que as sustentam nas paredes dos imóveis históricos. Mas há outras placas que também foram quebradas. Para o presidente da Fundação Municipal de Cultura, Fernando Durante, isso pode causar transtornos, uma vez que a fase final do projeto ainda está em elaboração, mas ele destaca a importância do projeto.

“Já estamos providenciando a recuperação das placas danificadas, e pedindo que os donos cuidem ou denunciem à GM casos de vandalismo. E teremos a impressão do livreto que, em conjunto com as placas, explicarão os motivos dos tombamentos”, diz Durante.

A instalação das placas foi realizada graças ao apoio da empresa CCR RodoNorte, resultante de um retorno social da empresa através da Lei Bepe, um dos dispositivos da prefeitura para o incentivo à cultura. Segundo a prefeitura, a empresa recebeu dedução de seu IPTU referente a 5% do valor que patrocinou via Lei Rouanet em projetos culturais na cidade, em 2014 e 2015. O valor desse desconto foi reaplicado pela empresa por meio desse projeto. 

153 - é o número para quem quiser fazer denúncia de vandalismo à Guarda Municipal