Cidades

Volume de bebidas apreendidas pela PRF é 24 vezes maior

Balanço da Polícia Rodoviária Federal (PRF) mostrou que no ano passado foram apreendidos 9590 litros de bebidas alcoólicas contra 387 litros em 2018
Em 2019, policiais identificaram uma rota que trazia bebidas da Argentina (Foto: Divulgação/PRF)

O volume de bebidas alcoólicas nas rodovias da região dos Campos Gerais foi 24 vezes maior em 2019 se comparado a 2018. Um balanço da Polícia Rodoviária Federal (PRF) mostrou que no ano passado foram apreendidos 9.590 litros de bebidas contra 387 litros em 2018. De acordo com o inspetor da PRF - delegacia de Ponta Grossa, Marcos Aurélio Santos, nem todos os produtos desta natureza apreendidos são oriundos do Paraguai.
 
"Fizemos apreensões de bebidas falsificadas nos Campos Gerais que estavam vindo de municípios próximos como, por exemplo, Prudentópolis, onde apanhamos garrafas semelhantes as de whisky com outro tipo de bebida dentro", lembra. 
Santos ressalta ainda que também foi identificada uma rota que trazia bebidas da Argentina. "Geralmente as bebidas vêm da Argentina, pois é mais barato para o consumidor. Identificamos que estas bebidas vinham escondidas em caminhonetes como Fiat/Toro, Saveiro e Fiorino. Quando identificamos a rota, passamos a atuar em cima deles. No entanto, é um trabalho de investigação contínua, pois eles podem mudar a rota, então também mudamos a nossa maneira de atuar", destaca o inspetor. 

Cigarros
 
As apreensões de cigarros contrabandeados nas rodovias da região dos Campos Gerais dobraram no ano de 2019 se comparadas a 2018. No ano passado, foram apreendidas mais de 3 milhões de carteiras. Em 2018, foram pouco mais de 1,5 milhões de apreensões. 
Em todo o Paraná, em 2019, os agentes da PRF também retiraram de circulação 39,7 milhões de carteiras de cigarros contrabandeado do Paraguai, 199 armas de fogo e 26,7 mil munições de diversos calibres.

"No ano de 2019, as equipes atuaram fortemente na questão voltada ao contrabando de cigarros, em razão das consequências danosas à saúde pública, o que atinge também diretamente o crime organizado que tem como uma das fontes de receita, justamente o contrabando do cigarro paraguaio. As marcas paraguaias dominam 54% do mercado brasileiro", aponta. 

Marcos Aurélio lembra ainda que, em 2018, a evasão fiscal estimada em R$ 11,5 bilhões superou a arrecadação da indústria que foi de R$ 11,4 bilhões, segundo a pesquisa Ibope. 

Comparação

As apreensões de drogas feitas pela PRF cresceram 23,5% no Paraná. Passaram de 51 para 63 toneladas. Já as de cigarros mais do que dobraram. O total de carteiras apreendidas saltou de 18,4 para 39,7 milhões. As apreensões de armas cresceram 40,1%, passando de 142 para 199 unidades. E as de munições subiram de 20,7 para 26,7 mil, uma alta de 29,1%.