Toque de Letra
Fantasma corre em busca do time ideal

Como parte da preparação para a temporada 2020, na última quarta-feira o Operário Ferroviário foi até o Estádio do Café para enfrentar o então rival Londrina, num jogo-treino em que acabou voltando para Ponta Grossa com a derrota por 2 a 1. Neste caso, o resultado vem em segundo plano, mas obviamente não é bom perder e já serviu para apontar o que deve ser aperfeiçoado no time e tudo mais. Foi o primeiro lampejo do Fantasma neste ano e a expectativa vai crescendo ainda mais.

Neste sábado, será a vez de o Tubarão jogar em Vila Oficinas e levar o troco. O técnico Gerson Gusmão já deve ter mais clareza do que deve fazer para testar as peças no esquema de jogo proposto. A tendência é basicamente de manter a mesma de atuar com fez nas últimas temporadas. A diferença está voltada para o aperfeiçoamento desta identidade de jogo que o mais longevo técnico do Brasil vem colocando em prática no Operário Ferroviário.

Tais características tornaram o Fantasma capaz de levantar duas taças nacionais, com uma marcação forte e principalmente aplicação tática. Mas com o tempo, algumas peças passaram a não funcionar como deveriam e a engrenagem começou a falhar. A partir disso, foi providenciada uma renovação no elenco alvinegro. Mas, o principal problema do Fantasma vem sendo a falta de gols. Isso foi o que emperrou o time na temporada passada.

A lição deve ter sido assimilada pela comissão técnica e a torcida fica por conta de ver o Operário Ferroviário marcando gols. Isso é fundamental, já que tem pela frente uma Copa do Brasil e mais o Brasileirão. Buscando acertar o ataque, Lucas Batatinha e Schumacher permaneceram no grupo. Afinal, já deram provas que podem ajudar o Fantasma. Mas com eles, também uma nova leva de atacantes. Já nessa primeira movimentação, Douglas Coutinho, que mal chegou em Vila Oficinas, já balançou as redes.