Meus Escritos
MULHERES SOB AMEAÇA

Quero iniciar este artigo, com uma pergunta: - qual é o valor de uma vida? A resposta, pode ser demonstrada, de muitas maneiras. Para alguns, a vida é tudo e para outros um nada absoluto. É bem isso, que vocês acabaram de ler.

         No começo desta semana, em reportagem de um famoso telejornal, as preocupantes estatísticas, sobre a violência contra a mulher no Brasil. De janeiro de um certo ano 2013, até o mês de novembro, já foram registrados mais de 50.618 casos de estupros, sem falar naqueles casos, que por vergonha ou medo da vítima, não são registrados nos boletins de ocorrência da polícia.

         O que pensarmos, diante de situações assim? O ser humano, buscando caminhos da violência, deixando pessoas completamente traumatizadas, aterrorizadas e machucadas.

         Aqui na Cidade de Ponta Grossa, em menos de um mês, vários casos registrados, nas manchetes policiais, com direito a chutes na cabeça, gasolina, tiros quase mortais e outros feminicídios mais.

         Muito complicado, quando deixamos de lado, o respeito pelo próximo. Não posso compreender, o que passa na mente de homens assim. Buscar o prazer provocando a dor, é uma atitude monstruosa, não vista em nenhum comportamento animal.

         E a violência doméstica então? Namorados, noivos, companheiros e esposos com as mãos pesadas, machucando quem deveriam amar e proteger. É a Lei Maria da Penha mostrando a sua finalidade.

         Semana passada, a jovem psicóloga de Ivaí, sendo torturada, assassinada e ainda, sofrendo violência virtual, em sua honra, através de redes sociais. A que ponto chegamos, minha gente, pois ninguém é proprietário de pessoas. Relacionamentos podem sim, serem finalizados, mas nem por isso, devemos sair por aí, rompendo os laços afetivos, com cordas de sangue, ácido, facadas, entre outras mais.

         O medo em cada esquina, seja do centro ou dos bairros da cidade. Desde uma simples viagem de ônibus ou táxi, onde o destino final pode ser o estupro. Assim temos inúmeros casos. Sem falar nos casos de assédio moral e sexual.

         Mais triste, em muitos casos, é a violência que nasce no seio familiar. São as meninas e jovens violentadas pelos pais, padrastos, irmãos, avôs, etc. Uma silenciosa e maléfica atitude.

         Finalizando, ainda sonho com dias de paz e tranquilidade as mulheres. Chega de violência gratuita e débeis ou monstruosos “homens”, ou melhor, machões de privada.