Blog do Canabarro
NEM-NEM-NEM

 

Inicialmente chamados de nem-nem, para definir jovens que nem trabalham e nem estudam, atualmente chamados de nem-nem-nem, ou seja, nem estudam, nem trabalham e nem procuram por trabalho, são jovens na faixa de idade de 15 a 29 anos que se encontram sem rumo e sem ocupação. O Brasil com 23%, é o quarto pais do mundo em porcentagem da população jovem desempregada, estando à frente somente da África do Sul (53,7%), Espanha (33,6%) e Nigéria (33,1%). A desocupação da população jovem é um fenômeno bastante democrático, mais acentuado em alguns países e menos em outros, mas presente em todos, como por exemplo, Canadá e Reino Unido, cada um com 11%, e Estados Unidos com 8,5%, afeta uma camada da população que deveria estar construindo toda a base de sua vida adulta. Um adolescente de 15 a 18 anos está finalizando a Educação Básica e deveria estar decidindo entre uma profissão por meio de cursos técnicos, ou do Ensino Superior, por meio do acesso a uma faculdade. E um adulto jovem de 25 a 29 anos (faixa de idade superior dos NNN) deveria estar na arrancada para a carreira, para a vida independente e para a sua própria família.

NADA DISSO

O fato é que nada disso está acontecendo e 11 milhões de jovens brasileiros estão parados no tempo, enquanto a vida passa pela janela. Como professor já vi mudanças impressionantes de comportamento de alunos totalmente descompromissados, que se tornaram adultos engajados e profissionais brilhantes. Ou seja, tudo é possível, mas a diferença é que esses ex-alunos estavam na escola, e qualquer escola – boa ou ruim – é melhor que nenhuma escola. Tenho casos na minha família de jovens que estão à deriva na vida, que vivem cada dia como se não houvesse amanhã, mas não no sentido de aproveitar a vida, mas sim no sentido de falta de visão de futuro, de perspectiva e de vontade de mudar a realidade. Eu os conheci quando crianças e não eram assim, foram mudando com o tempo. E em que momento ou que soma de fatores levou a essa acomodação mórbida que torna tudo impossível de ser feito?

FATORES            

No Brasil a juventude NNN é constituída em mais de 70% pelo sexo feminino, e um dos fatores dessa parcela é a gravidez na adolescência que cria uma nova realidade na vida da menina-mãe. Mas fatores psicossociais afetam diretamente na visão de futuro desses jovens. A baixa da qualidade da escola, o papel irrelevante atribuído à educação nos dias de hoje, a falta de trabalho para o primeiro emprego, as demandas cada vez maiores por consumo de tecnologia, as relações superficiais de redes sociais são fatores dominantes nessa situação. Além disso perguntas como: “qual meu propósito de vida?” “Por que estudar?”, “Trabalhar como os meus pais?” povoam a mente dessa juventude, onde muitos cresceram longe de pai e mãe, que estavam sobrecarregados trabalhando e se viram obrigados a terceirizar a criação/educação dos filhos. O fato é que teremos ainda consequências nefastas como subproduto desse comportamento, porque o adolescente e o adulto jovem são os responsáveis pela atualização do pensamento, a modernização do comportamento e pela geração de conhecimento e riquezas que irão manter o mundo, a economia e a cultura circulando e se desenvolvendo. Mas eles abriram mão de carregar esse fardo, e todos temos que nos preparar para o que isso vai ter como efeito no futuro.