Psicologia em pauta
Oscilações do humor em tempos de Quarentena

Oscilando nosso humor

Sabemos que nosso funcionamento emocional, varia de acordo com o ambiente em que estamos, com as nossas raízes genéticas e com os acontecimentos aos quais somos submetidos. E, com a fase em que estamos vivendo nosso humor sofre inúmeras variações. 
Quanto o nosso ser teve que se adaptar, não alimentando as frustrações, as tristezas, a solidão, a obrigatoriedade do isolamento social, que a quarentena nos impôs.
Como gostaríamos de poder abraçar, beijar, estar próximo de quem amamos. Porém, vamos festejar a vida, os desafios que ela nos proporciona, pois poderemos tirar dessa situação lições e avaliações importantes para o amanhã. 
Avaliar que “solitude”, não é estado de total privação, de isolamento total, de reclusão total. Hoje temos muitos meios de diminuir as distâncias e sentir que estamos separados, porém mais perto do que nunca, no amor, nas lembranças, no afeto. E, perceber o quanto somos vulneráveis, nos faz sentir que é importante sair do automático e viver o aqui e o agora. Nos distanciamos do mundo da selvageria, da agressividade física, porém ainda somos tão pequenos e vulneráveis a uma realidade que caminha ao nosso lado, com autonomia, com liberdade, ditando o nosso hoje.
Importante ressaltar, o estabelecimento do contato,mesmo que virtual aos que nos são próximos, com nossos amigos e familiares, sabendo como estão se sentindo e também compartilhando como nós estamos nos sentindo; não esquecer da alimentação sadia, dos exercícios físicos, mesmo num espaço limitado; pedir ajuda quando com restrição de sair de casa; planejar o dia, com atividades que dê conta, sem exageros, para não se frustrar ( porque por hora, temos todo o tempo do mundo); domine o estresse para não se deprimir e nem se tornar ansioso frente ao que não possa realizar. 
Porque, esse é realmente o tempo do mundo, não o nosso, no sentido da posse.
E, que como na vida tudo passa, isso também passará. 
Lílian Yara de Oliveira Gomes
CRP  08/17889