Psicologia em pauta
Pensamento: O que é?

Lílian Yara de Oliveira Gomes

CRP  08/17889

 

“Pensamento e pensar são, respectivamente, uma forma de processo mental ou faculdade do sistema mental. Pensar, permite aos seres, modelarem sua percepção do mundo ao redor de si, e com isso lidar com ele de uma forma efetiva e de acordo com suas metas, planos e desejos”.

            Muitas vezes ouvimos: “tenho boa cabeça, o que me estraga são os pensamentos”.

Será que conseguimos separar o pensar, do sentir e do agir? Ou isso ocorre de outra maneira: primeiro sentimos, depois pensamos, depois agimos? Ou também, agimos, sentimos e depois pensamos?

“O pensamento é aquilo que é trazido à existência através da atividade intelectual. Por esse motivo, pode-se dizer que o pensamento é um produto da mente, que pode surgir mediante atividades racionais do intelecto ou por abstrações da imaginação”.

            Como anda o nosso pensamento? Temos tido “consciência” deles? Ou estamos tão automatizados, que quando nos damos conta, já agimos, já reagimos, já nos deixamos levar pelo impulso, pela reação automática?

            Temos tomado consciência do nosso “momento presente”? Estamos conectados com o nosso “aqui e agora?”

Segundo Jon Kabat-Zinn, escritor e médico americano, as atitudes básicas para desenvolvermos habilidades e competências psicológicas, que ajudarão a não nos deter no “imaginário”, devem basear-se em algumas atitudes  como: - não julgar; ser paciente; ser curioso; confiar; não lutar (contra o que pensarmos); ver como as coisas/situações são realmente; deixar-se ir; ser grato; ser generoso...”

E, questiono: isso é fácil? NÃO

“O ato de pensar é um processo realmente complexo, já que é possível pensar sobre uma variedade de coisas, assuntos e situações: lugares, pessoas, objetos, sobre o presente, sobre o passado ou sobre o futuro, sobre coisas não concretas (como sentimentos), entre outros. É possível ainda pensar sobre o próprio pensar. Por meio do pensamento consegue-se colocar diante de si um objeto para ser estudado ou selecionado, sem que ele esteja ali fisicamente”.

Avaliar os pensamentos automáticos, aqueles recorrentes, que nos desgastam, nos estressam. Segundo a Psicóloga, Talita Lopes Marques,  “quando nossos pensamentos são mais negativos, depreciativos, eles funcionam como um veneno na nossa mente e no nosso coração, vão contaminando tudo à nossa volta”. E, nos instiga a “parar para observar por um dia, e pensar que tipo de pensamentos passam pela nossa cabeça: será que são pensamentos gentis? Maldosos? Construtivos? Perturbadores? Depreciativos? Negativos? Positivos?”

Por isso, “a melhor maneira de capturar momentos é prestando atenção”.( Jon Kabat-Zinn)