Visão Empresarial
Por que algumas pessoas têm a mania de ficar acusando os colegas quando algo sai errado?

Apoio

O ato de acusar os outros é antes de mais nada a busca que um profissional tem de tentar reafirmar que o seu mundo é o mundo correto, que ele pertence a uma comunidade, que é uma equipe e cultuam, portanto, as mesmas regras, os mesmos valores e que ao acusar a pessoa sente-se protegida porque tem certeza que toda a grande maioria irá apoiá-lo. Observe que quando alguém vai acusar outro colega, mas tem dúvida se a maioria da empresa irá apoiá-lo, ele já age com cautela, só age com muita segurança quando percebe que todos irão apoiá-lo. Perceba que isso é uma forma que nós temos, como profissionais, como seres humanos, de afirmar que o mundo em que vivemos e que o mundo que acreditamos ser o correto está sendo preservado.

*****

Referendar

O senso de preservação, o senso de manter um mundo seguro faz parte do nosso inconsciente e às vezes faz com que bons profissionais errem na hora de se relacionar com outros colegas dentro da empresa, por um motivo simples, acusar requer também condenar. Dificilmente alguém se limita a dizer “você fez algo errado”. Ele diz “você fez algo errado e por isso deve ser punido com isso ou aquilo”. Em bom português, acusar e condenar são coisas do nosso instinto de tentar referendar que estamos no caminho correto. Outro detalhe importante é que a pessoa só se sente confortável para acusar quando tem certeza que a grande maioria vai apoiá-lo, caso contrário age com cautela e muitas vezes deixa até mesmo de apontar o erro do outro quando tem dúvida se a maioria da equipe irá apoiá-lo ou não.

*****

Agir

Isso acontece porque mais importante do que apontar um erro e acusar, é ser referendado, é ser visto pela grande maioria da própria equipe ou da própria empresa, como alguém que fez a coisa a coisa correta. Resumindo, quando acusamos outra pessoa antes de mais nada estamos buscando referendar que o nosso mundo está correto, como se fossemos daquele lado que é do bem contra aquele lado que é do mal. No mundo corporativo, quem quer segmentar um mundo entre o bem e o mal às vezes acaba desperdiçando grandes oportunidades de trabalhar com gente que é do bem, apenas age de maneira diferente. Pense nisso!

 

Luciano Salamacha