Visão Empresarial
Por que o remorso costuma ser o pior castigo para quem não controla seus impulsos?

Compensação

Quando dizemos que estamos envolvidos pelo remorso estamos dizendo que a nossa consciência seguiu a seguinte ordem: número um, identificou que não agimos da maneira que a consciência, a nossa escala de valores considera correta; número dois, constatou que provocamos algum mal para a outra pessoa; e terceiro, exige uma espécie de reparação para que a nossa autoestima volte ao estado normal. Em bom português significa que a nossa consciência nos cobra uma espécie de ação compensatória para que de alguma maneira consigamos anular ou pelo menos compensar com algo bom aquilo de ruim que fizemos. E aí você vai perceber que o remorso normalmente é uma atitude consciente constatando que nossa atitude de maneira inconsciente, não pensada e impulsiva é que deu causa a determinada ação de natureza negativa.

*****

Sequência

Vamos dar um exemplo para simplificar. Uma pessoa está trabalhando na empresa e de repente julga que um colega cometeu um erro gravíssimo. Imediatamente passa a indicar para todas as pessoas dentro da empresa o erro do colega inclusive fazendo aquela sequência que já comentei aqui na coluna Visão Empresarial: acusa, julga e condena a pessoa a uma espécie de punição social. Aquela pessoa não pode passar impune diante daquela situação, porém à medida que os fatos vão sendo esclarecidos se percebe que aquele colega não fez nada mais do que deveria ser feito naquelas condições. É como aquela pessoa que de repente destruiu um equipamento da empresa e é acusada de não cuidar do patrimônio da empresa quando, na verdade, ela destruiu o equipamento para evitar que um incêndio consumisse a empresa como um todo.

*****

Reparação

A acusação preliminar seguida de um julgamento rápido e de uma condenação extremamente forte faz agora com que surja o remorso na consciência daquele profissional que injustamente promoveu a acusação. Agora a sua consciência exige uma espécie de reparação e essa reparação muitas vezes consome toda a autoestima que esse profissional tem. Resumindo, se nos prepararmos melhor para evitar que o impulso automático que temos pelo nosso inconsciente de sair acusando, julgando e condenando, e que isso seja substituído por mais perguntas e menos acusações, tenha certeza de que automaticamente evitaremos o remorso e a injustiça. Pense nisso! Para a coluna Visão Empresarial

 

Luciano Salamacha