Visão Empresarial
Por que são tão comuns os famosos ruídos de comunicação das empresas?

Má fé

Talvez a primeira questão importante quando se fala em ruídos de comunicação seja entender a diferença entre erro e aquilo que a gente chama de má fé. O erro acontece quando uma pessoa quer acertar, mas por algum motivo foi infeliz, foi insuficiente e não atingiu o seu objetivo. A grande questão é que no erro a pessoa teve boa fé, ela tem a intenção de maneira positiva, enquanto que de outro lado algumas vezes os ruídos de comunicação acontecem nas empresas porque um profissional ou alguns profissionais têm a deliberada intenção de fazer com que aquele problema surja no ambiente de trabalho e que ele contamine todas as pessoas passando a ser uma espécie de trampolim para que outros problemas venham a surgir.

*****

Interesses

É algo parecido com aquela situação em que você convida os gestores da empresa para que de uma maneira rápida tentem resolver entre si pequenos problemas do dia a dia. Acontece que de um lado você percebe que um gestor seu tem essa boa intenção, está tentandoo tempo todo fazer com que os demais colegas não apenas amenizem os problemas que acontecem como também sejam peças fundamentais para encontrar soluções, mas de outro lado, também fica evidente que algumas pessoas da equipe não têm interesse que aquelas situações sejam resolvidas por um motivo muito simples. Se aqueles problemas deixarem de existir talvez se perceba que não há tanta relevância assim em algumas atividades que são executadas.

*****

Ação

Em bom português, não será mais necessário ter tanta gente para resolver problemas que de repente não existem mais, como naquela dinâmica em que a pessoa primeiro precisa criar dificuldades para depois vender facilidades. Resumindo, preste atenção! Os ruídos de comunicação acontecem quando um gestor não observa se a sua equipe está agindo por má fé ou então está agindo meramente por erroporque na verdade querem acertar, mas não estão sendo suficientemente competentes para isso. Quando há erro há conserto, quando há má fé é necessário que aja ação por parte da alta gestão. Pense nisso!

 

Luciano Salamacha