Blog do Canabarro
REFORÇO POSITIVO

Nelson Canabarro

Sempre falo nas minhas aulas na universidade algumas frases que são bastante usadas no mundo corporativo. Frases do tipo: - Manda quem pode, obedece quem tem juízo. - Quer bem feito, faça você mesmo. - Você é pago para fazer, não é pago para pensar. - Elogiar estraga.

Notem que todas elas servem de reforço negativo, ou seja, mostram o lado ruim das relações e do ambiente de trabalho. São frases usadas em contextos de conflito, de enfrentamento e de desacordo. Considero todas muito danosas para o dia a dia de qualquer corporação mas a última, principalmente, mostra o quanto alguns gestores estão equivocados no exercício da liderança. O elogio é uma ferramenta poderosa para promover o engajamento da equipe e de qualquer pessoa, na família, na escola, na faculdade, na ONG. O elogio bem colocado serve como combustível para que uma pessoa passe a fazer o seu melhor, para que mude de comportamento e deixe de ser um causador de problemas para ser um solucionador de problemas. O elogio será sempre construtivo quando aplicado de forma pública, nas situações onde o indivíduo fez algo que estava além de suas responsabilidades, ou seja, fez mais do que se esperava dele. Não elogiar quem está se superando, quem está se doando, pode funcionar como desestimulante, fazendo com  que a pessoa se sinta desvalorizada e desprestigiada e se faça a seguinte pergunta: “de que vale tanta dedicação se ninguém dá valor?”

LADO NEGATIVO

De maneira geral nós somos rápidos em destacar as coisas negativas que acontecem e raramente reconhecemos as positivas. A rotina diária é repleta de exemplos, sempre gastando energia com quem não está fazendo sua parte, e ignorando quem faz mais do que precisa. As coordenações pedagógicas das escolas, por exemplo, gastam um tempo enorme para tratar os casos de alunos que tiram notas ruins ou “aprontam” nas aulas. Conversam com o estudante, fazem reuniões com os pais e, em alguns casos, até elaboram estratégias de ensino diferente para eles. Enquanto isso o estudante que cumpre todas as suas obrigações e, além disso, tiram notas altas (que não é obrigação), seguem sendo solenemente ignorados. Por que não chamar seus pais e dar a esses jovens um reforço positivo, que sirva de estímulo para que continuem se destacando e fazendo mais do que precisa ser feito? Simplesmente porque faz parte de nossa cultura olhar somente aquilo que dá errado, como se dar certo fosse a obrigação, não sendo digna de ser destacada.

AUTOCONFIANÇA

De forma direta, um elogio colocado de forma cirúrgica, ou seja, na hora e na medida certas, em público e reconhecendo o trabalho feito além do esperado, aumenta a autoconfiança e a auto-estima de qualquer pessoa. Perceber que um trabalho bem feito foi reconhecido tem mais impacto na motivação do que um aumento de salário ou de mesada, estimula o indivíduo a continuar procurando formas de fazer mais e mais. Além disso, outras pessoas da equipe seriam “contaminadas” pelo bom exemplo, até chegar o momento onde a cultura do local seja a de fazer mais e melhor. Pessoas motivadas, autoconfiantes e com auto-estima elevada suportam melhor os reveses que lhes são impostos, deixando-as mais resistentes e resilientes. Se gastássemos com quem desempenha bem seu papel, a mesma energia e tempo que gastamos com quem desempenha mal, com certeza criaríamos uma nova realidade, dentro de um ambiente saudável, livre dos medos, do estresse desnecessário, da pressão por resultados e dos conflitos da convivência.