Toque de Letra
Segue a rotina dos pontos corridos

O campeonato brasileiro de futebol já sofreu diversas mudanças no seu formato desde 1959, quando foi instituído pela CBF. A competição já foi disputada de forma eliminatória em mata-mata após uma classificação inicial, mas, depois de 2003, o certame passou a ser realizado em pontos corridos.

O detalhe fica por conta de que acabou aquela sensação de adrenalina pela chamada decisão do campeonato, com o confronto direto valendo a taça. Agora, o campeão pode ser definido por antecipação, em alguma rodada qualquer na reta final. Tudo indica que deve ser o Flamengo, na Série A, e o Bragantino na B. Portanto, segue e rotina das rodadas e todo mundo já sabe quem será o campeão (ou será que não?).

Resta então para o desfecho, a conhecida esquizofrenia envolvendo vagas para a Libertadores e a salvação do rebaixamento. Em outras palavras, um fim de campeonato com muitas definições e que desvirtuam a expectativa direta pelo campeão. Obviamente acabou aquele friozinho na barrida pela batalha final, aquele jogo que marca para sempre na memória de quem ganhou ou perdeu. Vencer um confronto direto é a essência do jogo em si, e é isso que valoriza o fato do embate final.

Isso estava enraizado na cultura do futebol brasileiro por gerações e agora é diferente. Para que tem saudades, salve a Copa do Brasil! Aliás, em termos práticos, cada jogo é uma decisão. É pura adrenalina. Além de tudo hoje é um certame milionário, e a possibilidade de uma zebra aparecer do nada torna a disputa recheada de expectativa. Ano que vem o Fantasma deve entrar nessa neura e não vai ter espaço em Vila Oficinas.

Mas antes ainda tem a parte final do Brasileirão da Série B e a missão é terminar buscando vitórias importantes para consolidar o time de Vila Oficinas no cenário nacional.