Psicologia em pauta
Tendo o isolamento social como amigo

Tendo o isolamento social como amigo
Nem sempre estar em isolamento social, nos causa bem estar. Porém, na época em que estamos vivendo, isso é da maior importância. Sei que já abordei acerca dessa necessidade, e o faço novamente porque essa consciência tem que nortear os nossos comportamentos individuais, os quais irão diretamente influenciar o coletivo. 
Certas pessoas nem sempre conseguem estar "em sua própria companhia". Sentem-se estranhas, não sabem administrar seus tempos, sentem-se solitárias, abandonadas. 
O importante é fazer desses momentos, oportunidades de aprendizado, de descoberta de si mesmo, de silenciar a mente. Parar com a "correria do dia-a dia", se faz necessário para nos situarmos no "aqui e agora" e perceber quantas habilidades temos, que esse isolamento poderá nos proporcionar  a oportunidade para colocá-las em prática. 
Tenho recebido relatos de pacientes que descobriram suas habilidades como cozinheiras, artesãs, recreadoras, decoradoras, apreciadoras de bons filmes e livros, interessadas em estudar outro idioma, desenhistas, pintoras etc; perceberam que a casa é um lugar de convivência que há tempos não era utilizada para esse fim. É também um espaço de troca afetiva, que nem sempre se realizava, porque cada integrante dela, estava em seu mundo individual e egoísta. 
Sabemos que estamos vivendo um tempo de exceção, mas poderemos fazer desse tempo e espaço um espaço fraterno, participativo, empático, colaborativo e mais humano. 
Portanto, o isolamento social, poderá nos proporcionar muitas descobertas e nos aproximar, mesmo virtualmente de tantas pessoas, que poderão colaborar, nas trocas tanto das "receitas culinárias" como do mais simples gesto, de querer saber como estamos. E, dessa forma, o isolamento social, poderá nos surpreender e nos ajudar a vencer nossa própria solidão e aplacar as saudades, que sei ... são grandes!