Meus Escritos
UMA CIDADE DO PASSADO COM FUTURO

EMERSON PUGSLEY

 

         Mais um aniversário, de nossa querida cidade, a caminho. Todos se preparando para os momentos comemorativos. É hora de relembrar o Hino, visualizar a bandeira de cor azul, tão bonita e de beleza ímpar, hasteada nos mastros dos prédios públicos.

         Todos deslocando-se para a Avenida Vicente Machado, pois teremos o tradicional desfile, envolvendo as diferentes instituições públicas e privadas. Desde as criancinhas até os mais idosos, o envolvimento é total. Alguns poucos veteranos de guerra, que aqui residem. As diferentes bandas e fanfarras, dando o tom para a festa com aquele som único.

         De ruas estreitas a largas avenidas, da poeira e do asfalto, o desenvolvimento vai chegando a cada novo dia. Prédios despontam na paisagem, o trânsito barulhento mostrando a sua face principal. Assim temos caminhado. De notícias alegres e tristes também. Assim vamos seguindo.

         Lembramos agora, de todas aquelas pessoas, anônimos e famosos, os quais aqui passaram e construíram esta cidade. Se hoje temos ruas, alguém chegou antes para abri-las em meio ao pó e pedras. Se temos construções e indústrias, alguém precisou, suar a camisa, para colocá-las em pé nos seus alicerces.

         Conheci uma senhora idosa, a qual morou, por muitos anos aqui, sendo que não está mais entre nós. Eu pessoalmente, gostava muito de conversar com ela, pois tinha em sua mente a história viva. Cada nome de rua, escolas, políticos antigos, tinha conhecido, e lembrava fatos interessantes e engraçados, de suas “aventuras”.

         Tudo foi sepultado em um túmulo. Precisamos urgentemente, mostrar para as gerações atuais e futuras, a importância de conservar a história como ela realmente aconteceu. Por exemplo, temos muitas praças ao nosso redor. Você já pesquisou, quem foi a pessoa, a qual emprestou o nome para a mesma? Com certeza, ainda não. Não temos tempo, ou vontade própria, para este tipo de atitude.

         Moramos anos em uma rua, mas não sabemos, quem foi aquela pessoa que está afixada na placa da esquina. Isto quando existe placa.

         Terra do frio e do calor, das secas e das chuvas intensas, do rio e das cachoeiras, da abundância e da escassez de recursos, da pobreza da favela ao luxo dos condomínios fechados, das pessoas bem empregadas, e daquelas que dia a dia, frequentam as filas das agências de trabalho, da fartura das plantações de grãos e do prato completamente vazio, de pessoas que não tem o que comer.

         Do pré até as universidades e faculdades, das escolas públicas e particulares e dos cursos técnicos. É a profissionalização, de um povo lutador, buscando os meios pela sobrevivência cotidiana.

         São 196 anos de vida. Teremos muitos anos pela frente, para que possamos trilhar, o caminho da igualdade social, e do respeito a população, que aqui reside. Parabéns a Cidade de  Ponta Grossa! Rumo ao futuro com fé, coragem e persistência. Abraço aos leitores!