Meus Escritos
Uma Incógnita Chamada Caráter

Bom dia!

Gosto demais, de um pensamento, que diz o seguinte: "Caráter é aquilo que somos e fazemos, quando ninguém está nos observando". Não sei quem escreveu, mas de profunda sabedoria e inspiração, redigiu algo, não apenas para uma época específica, mas para todas as gerações, passadas, atuais e futuras. E isto, vale para mim, para vocês, para os nossos "representantes", entre outras categorias mais. Primeiro, gostaria de refletir, na questão do caráter, aquilo que deveríamos ter, mas muitas vezes, nos escondemos atrás de máscaras, para dizer que temos, mas na verdade, nem sabemos do que se trata. Por exemplo: um político que anos atrás, o qual "ganhou" mais de 20 vezes na loteria, estar devendo para o governo federal, uma pequena fortuna, isto poderia ser chamado de caráter? Ou então, um jovem assassino, dizer estar arrependido, e continuar aprontando todas? Complicado vocês podem achar. Em segundo, o fato de ninguém estar olhando. Sempre o "proibido" parece ser o doce mais saboroso. Ou então a "proibida", dependendo da situação. E finalmente, o fato de sermos, quem somos. Será que realmente, estamos sendo "verdadeiros", ou apenas protótipos de bonzinhos(as) e degustando os prazeres mundanos? Fechando, temos visto e ouvido, muitas denúncias de corrupção, na aquisição de equipamentos para a pandemia. E as autoridades, de cabelos arrepiados, com trilhões de reais, sumindo no ralo do descaso com a vida e o bem público. Será, que se tais pessoas mal intencionadas, fossem visitadas pelo vírus na sua pele ou de algum familiar, mesmo assim, agiriam vergonhosamente? Sou da opinião, que quando a desgraça, bate em nossa própria porta, acordamos subitamente para a vida real, nua e crua.

"Se você quer entender uma pessoa, não escute suas palavras, observe seu comportamento."

                                                                                                               (Autor Desconhecido)

Uma terça feira de realizações a cada um de vocês.

Grande abraço aos leitores e amigos(as),

Emerson Pugsley